CFF - 16/03/2016 às 18:59:21

Caros colegas farmacêuticos homeopatas e diretores da ABFH

Li, estupefato e com estranheza, a nota da AMHB (Associação Médica Homeopática Brasileira) em resposta à ABFH (Associação Brasileira de Farmacêuticos Homeopatas), que se oferecera para participar da organização de atividades científicas do “XXXIII Congresso Brasileiro de Homeopatia 2016”, a se realizar, em Campo Grande (MS), por aquela instituição médica. A AMHB rejeitou a ajuda da ABFH e vetou a inscrição de farmacêuticos no evento.

Soa estranha a atitude da AMHB, primeiramente, porque ela aponta para o cerceamento de todos os esforços que os farmacêuticos homeopatas, tendo à frente a sua representação – a ABFH – vêm empregando, com vistas a construir a indispensável e construtiva atividade multiprofissional envolvendo profissionais das duas e das demais áreas. A Associação Brasileira de Farmacêuticos Homeopatas propôs colaborar na construção da grade científica voltada para o farmacêutico, “além de compor atividades interdisciplinares”.

Também, porque rejeitar a inscrição dos farmacêuticos no evento, por mais argumentações de que se valeu a entidade médica, significa não reconhecer a altíssima qualificação da farmácia homeopática brasileira, o que a coloca entre uma das mais avançadas e respeitadas, no mundo inteiro. O modelo homeopático do Brasil é referência internacional. A rejeição da AMHB, portanto, tornará o “XXXIII Congresso Brasileiro de Homeopatia 2016” um evento menor.

Quero reforçar, em comum com a ABFH, que os farmacêuticos homeopatas brasileiros são excelências no setor, por suas excepcionais qualificações adquiridas por meio de especializações e de cursos de pós-graduação lato sensu e stricto sensu e, também, pela prática. E mais: não se pode discutir homeopatia, deixando de fora da discussão o medicamento homeopático. Ele é fundamental para o sucesso terapêutico.

Não se pode, também, levar a homeopatia para o centro de um congresso brasileiro, sem que o evento abra espaço para uma focalização nos serviços prestados pelos farmacêuticos homeopatas, quais sejam a dispensação do medicamento, a orientação sobre o seu uso correto (inclusive racional) e a prescrição farmacêutica. A ABFH iria para o congresso, levando o seu valiosíssimo e imprescindível conhecimento sobre a harmonização e oficialização de técnicas que aprimoraram os resultados clínicos, fruto de décadas de estudos.

Sabemos que a iniciativa da AMHB não traduz o pensamento dos médicos. Isto está muito bem posto nas palavras do médico Régis Barros. Ele faz o seguinte comentário sobre a decisão da Associação Médica Homeopática Brasileira: “Sou médico psiquiatra e lamento essa postura obtusa e de não diálogo dessa entidade médica. A falta de habilidade em discutir questões éticas e do dia a dia causa isso - rompimento de relações e desgastes na imagem do médico. Os saberes sempre são complementares e não excludentes e nunca poderão ser em patentes de saber. O resultado é isso: uma categoria médica cada vez mais desgastada. Contudo gostaria de afirmar que muitos de nós, médicos, vemos o mundo de forma diferente. Então, eu lhe peço que não generalize as críticas em todos nós. Direcione-as à Associação Médica, que cometeu tal descalabro”.

Entendemos como lamentável a atitude da AMHB, e manifestamos o nosso desejo de que diretores da entidade revejam o seu posicionamento e incluam a participação dos farmacêuticos homeopatas no congresso. Ganhará, com isto, principalmente, a população, que logrará muito mais benefícios em saúde, vez que se espera que, do evento, brotem as mais importantes ideias e propostas para uma homeopatia mais forte, humanizada e de acesso a todos, com a participação dos farmacêuticos.

Walter Jorge João,
Presidente do Conselho Federal de Farmácia.











Mapa do Site

Serviços Informações Institucional Transparência    Notícias Contatos Acesso Restrito
Agendamento
2ª via Anuidade  
Capacitações
Consultar Farmacêutico  
Consultar Protocolos
CR Web
Denúncias  
Inscrição Profissional
Ouvidoria
Parcelamento  
Requerimento CR
Requerimento Online
Validar Certificado
Validar CND
Validar DIR
Validar DNCE
Agenda CRF/MG  
Área Técnica / Legislações
Concursos
Direitos e Deveres
Licitações
Perguntas Frequentes
Publicações e Documentos
Requerimentos e Modelos        
Associações Farmacêuticas
Comissões
Competências
Diretoria
Estatísticas
Estrutura
Fiscalização
História
Princípios
Projetos
Responsabilidade Social
Acesso à Informação
CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS
Rua Urucuia, 48 - Floresta
Belo Horizonte/MG | CEP: 30150-060
Horário de Funcionamento:
De segunda a sexta, de 8h às 17h
Todos os direitos reservados. © 2019 - Desenvolvido pela Assessoria de Imprensa e Gerência de Tecnologia da Informação do CRF/MG Conselho Regional de Farmácia de MG