Terra - 04/08/2016 às 13:16:37

Comprar direto na distribuidora de medicamentos é mais barato?

Na hora de comprar medicamentos especiais, a pesquisa de preços é fundamental, seja na internet ou através das farmácias mais baratas por aí (on e off-line). Nesse caso, muita gente também procura saber os preços em alguma distribuidora de medicamentos , por pensar que, nestes locais, os remédios serão mais baratos e sairão mais em conta do que comprar em uma drogaria famosa.

Por isso, neste caso, a maior dúvida dos consumidores e pacientes é: comprar direto na distribuidora de medicamentos é realmente mais barato do que comprar em uma farmácia?

Neste texto, vamos explicar como funciona uma distribuidora de medicamentos e se realmente elas vendem remédios com um custo mais baixo do que os comerciantes deste tipo de produto.

Distribuidora de medicamentos: a realidade farmacêutica brasileira

O Brasil é um dos países que mais consomem medicamentos no mundo inteiro. De acordo com o SEBRAE, o país possui a maior média mundial de farmácias por pessoa, sendo 3,4 delas para cada 10 mil brasileiros. Por isso, o setor farmacêutico é grande e produtivo e oferece oportunidades de negócios para todos os tipos de empresa envolvidos no ramo.

O mercado de medicamentos, dessa forma, está sempre fértil - cresce constantemente e não vê previsão de queda. Isso porque as pessoas estão consumindo medicamentos até mesmo sem consultar um médico especializado, seja para ansiedade, dor de cabeça ou qualquer um dos males considerados "urbanos". Além disso, durante os últimos anos, os consumidores conseguiram maior acesso ao mercado, além de que os custos de produção e de vendas diminuíram e a regulação do setor se desenvolveu. É um mercado estável durante todo o ano, possui baixa sazonalidade e não é muito afetado por crises econômicas, por ser um produto de primeira necessidade.

Dentre as áreas envolvidas com o setor farmacêutico, foi indicado que cerca de 70% do faturamento do mercado vem do varejo. Em 2014, por exemplo, o setor registrou crescimento de 11,4% na venda de medicamentos (dados da IMS Health) e não parece que o mercado vai parar, já que teve um aumento de 45,6% entre 2010 e 2014, de acordo com o Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (SINDUSFARMA).

Por isso, cada vez mais, a área distribuidora de medicamentos aparece no mercado como forma de investimento dentro do setor e de deixar cada vez mais acessíveis até mesmo os fármacos mais improváveis.

Distribuidora de medicamentos : o que é e para que serve?

Uma distribuidora de medicamentos não pode ser confundida com uma farmácia - cada um destes possui uma finalidade e um conceito diferente.

A distribuidora de medicamentos também não é aquela que os produz, mas sim a parte do setor responsável por fazer a ponte entre os laboratórios farmacêuticos (aqueles que produzem os remédios) e o comércio voltado para o público final (ou seja, os consumidores), como as farmácias, drogarias, hospitais, clínicas, consultórios e órgãos públicos. Os produtos vendidos vão desde os genéricos até os remédios de alto custo, próteses, órteses e também materiais cirúrgicos.

Para poder funcionar, a Agência de Vigilância Sanitária (ANVISA) estipula algumas condições para a distribuidora de medicamentos. Isso porque os remédios têm o caráter de relevância pública, e a responsabilidade pelo fornecimento deles para alguma região e pelo seu recolhimento fica a cargo da distribuidora em questão. É sua obrigação fornecer, em todas as condições favoráveis, os produtos ao comerciante final.

Para que uma distribuidora de medicamentos possa funcionar, é preciso que ela faça parcerias com laboratórios regionais, mas ela também pode fazer vendas diretas por telefone ao consumidor final. Caso a distribuidora faça parcerias com órgãos públicos, as compras são feitas através de licitações ou de vendas diretas aos hospitais públicos.

Comprar direto na distribuidora de medicamentos é mais barato?

Como dissemos, é possível que o consumidor final faça a compra de um remédio direto pela distribuidora. Porém, sempre fica aquela dúvida sobre o preço: na distribuidora, o medicamento é mais barato ou não? 

Sim, o remédio, normalmente, é mais barato quando adquirido direto na distribuidora. Isso porque, quando você compra em drogarias, você também paga os impostos, o aluguel da loja e o salário dos funcionários. Por isso, muita gente prefere negociar diretamente com as distribuidoras, que não cobram nada além do valor do medicamento em si. 

Por isso, antes de adquirir o remédio que precisa, entre em contato com uma distribuidora de medicamentos ou pesquise seus preços on-line, pois um pouquinho de tempo gasto fazendo a pesquisa pode te ajudar a economizar um bom dinheiro.

Caso esteja procurando algum medicamento especial, entre em contato conosco! Trabalhamos com uma grande variedade de fármacos e é bem provável que tenhamos o que você precisa. Entre em nosso site e faça sua pesquisa. 
Além disso, caso queira ajuda em relação a algum remédio, nos comunique, pois podemos conversar tranquilamente sobre o assunto, sanando todas as suas dúvidas e deixando tudo bem claro. Estamos ao seu dispor!

Link: Clique aqui para ler esta notícia direto da fonte.











Mapa do Site

Serviços Informações Institucional Transparência    Notícias Contatos Acesso Restrito
Agendamento
2ª via Anuidade  
Capacitações
Consultar Farmacêutico  
Consultar Protocolos
Denúncias  
Inscrição Profissional
Ouvidoria
Parcelamento  
Requerimento
Requerimento Online
Validar Certificado
Validar CR
Agenda CRF/MG  
Área Técnica / Legislações
Concursos
Direitos e Deveres
Licitações
Perguntas Frequentes
Publicações e Documentos
Requerimentos e Modelos        
Associações Farmacêuticas
Comissões
Competências
Diretoria
Estatísticas
Estrutura
Fiscalização
História
Princípios
Projetos
Responsabilidade Social
Acesso à Informação
CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS
Rua Urucuia, 48 - Floresta
Belo Horizonte/MG | CEP: 30150-060
Horário de Funcionamento:
De segunda a sexta, de 8h às 17h
Todos os direitos reservados. © 2018 - Desenvolvido pela Assessoria de Imprensa e Gerência de Tecnologia da Informação do CRF/MG Conselho Regional de Farmácia de MG