O Tempo - 02/10/2017 às 16:10:18

Lista de medicamentos impróprios para idosos é atualizada nos EUA

Profissionais da saúde com foco na terceira idade sabem que determinados medicamentos podem trazer riscos que superam os benefícios, principalmente se consumidos nessa fase da vida. Para servir de alerta, a Sociedade Americana de Geriatria (AGS, sigla em inglês) atualizou, na semana passada, a lista chamada de “Stopp-Start”, cujo objetivo é divulgar os remédios que podem ser potencialmente inapropriados para essas pessoas. No Brasil, o Instituto para Práticas Seguras no Uso de Medicamentos (ISMP) reforçou a medida.

De acordo com a farmacêutica Mariana Gonzaga, membro do conselho do ISMP, os principais medicamentos que preocupam os especialistas são os chamados benzodiazepínicos, de tarja preta, indicados para insônia, ansiedade e casos de espasmos musculares. “Existe o temor de que usar Rivotril, diazepam ou outro benzodiazepínico por muito tempo possa aumentar os riscos de desenvolver demência e Alzheimer”, diz. Mariana ressalta que o uso prolongado é desaconselhado porque esses medicamentos causam efeitos colaterais. É comum quem os usa relatar aumento da sonolência, dificuldade para se concentrar e amnésia temporária.

Motivos. Isso tudo acontece em razão da vulnerabilidade causada naturalmente pelo envelhecimento, afirma o geriatra Fábio Campos Leonel, professor da Faculdade Ipemed e membro da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG). “É um ciclo: quanto mais velho, mais doenças aparecem e mais remédios se toma. O que acaba se agravando devido ao desgaste corporal como a disfunção renal, a diminuição do fluxo sanguíneo e outros fatores que aumentam o efeito adverso à medicação”, explica.

VEJA TAMBÉM

infografico É melhor evitar

Mais

A farmacêutica Mariana é enfática. “A escolha do medicamento apropriado para cada idoso é um passo fundamental na prevenção de eventos adversos nessa faixa etária. Esse processo deve ser meticuloso, pois o uso de alguns medicamentos pode originar mais riscos que benefícios”, alerta.
Nesse caso, os especialistas orientam os pacientes a procurar alternativas que possam evitar o uso de medicamentos ou, ao menos, diminuir a atuação.

Mas ambos os processos devem ser acompanhados por profissionais da saúde. “A melhor saída sempre vai ser a prevenção. O mais indicado é não ter que depender de remédios”, orienta o geriatra.

Cuidado. Prevenção é palavra-chave na vida da empresária Nilceia Medeiros, 52. Ela tem histórico familiar de várias doenças comuns na terceira idade e não quer depender de nenhum tipo de medicamento.

“Minha mãe tem Alzheimer e usa remédio forte. É triste de ver. É por isso que faço de tudo para não ter que usar também. Quero ser uma velhinha conhecida pela boa saúde e pelos projetos realizados”, conta.

 

Uso indevido de remédio afeta 25%

Apesar dessas recomendações, 25% dos idosos tomam pelo menos uma medicação potencialmente inapropriada a cada ano, de acordo com dados obtidos por pesquisadores do Instituto Universitário de Geriatria de Montreal (Canadá).

Além disso, embora 70% desses idosos estejam dispostos a parar de tomar esses medicamentos potencialmente inapropriados, os médicos continuam prescrevendo essas drogas. Os resultados foram publicados no “Journal of the American Geriatrics Society”.

Flash

Apesar dessas recomendações, 25% dos idosos tomam pelo menos uma medicação potencialmente inapropriada a cada ano, de acordo com dados obtidos por pesquisadores do Instituto Universitário de Geriatria de Montreal (Canadá).

Além disso, embora 70% desses idosos estejam dispostos a parar de tomar esses medicamentos potencialmente inapropriados, os médicos continuam prescrevendo essas drogas. Os resultados foram publicados no “Journal of the American Geriatrics Society”.











Mapa do Site

Serviços Informações Institucional Transparência    Notícias Contatos Acesso Restrito
Agendamento
2ª via Anuidade  
Capacitações
Consultar Farmacêutico  
Consultar Protocolos
CR Web
Denúncias  
Inscrição Profissional
Ouvidoria
Parcelamento  
Requerimento CR
Requerimento Online
Validar Certificado
Validar CR
Agenda CRF/MG  
Área Técnica / Legislações
Concursos
Direitos e Deveres
Licitações
Perguntas Frequentes
Publicações e Documentos
Requerimentos e Modelos        
Associações Farmacêuticas
Comissões
Competências
Diretoria
Estatísticas
Estrutura
Fiscalização
História
Princípios
Projetos
Responsabilidade Social
Acesso à Informação
CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS
Rua Urucuia, 48 - Floresta
Belo Horizonte/MG | CEP: 30150-060
Horário de Funcionamento:
De segunda a sexta, de 8h às 17h
Todos os direitos reservados. © 2018 - Desenvolvido pela Assessoria de Imprensa e Gerência de Tecnologia da Informação do CRF/MG Conselho Regional de Farmácia de MG