O Estado de S. Paulo - 22/08/2016 às 13:22:01

17 países relatam casos de microcefalia por zika

Depois de meses de dúvidas sobre a ligação entre vírus e má-formação, e um alerta mundial, 17 países já registram casos de microcefalia associada ao zika, de acordo com o boletim mais recente da Organização Mundial de Saúde (OMS). Em quatro, não há transmissão local do vírus, mas as mães viajaram a locais onde há epidemia. Desde 2007, 70 países tiveram transmissão de zika.

O balanço é de 1.926 casos de má-formação no mundo desde 2014. O Brasil ainda concentra a maior parte dos registros associados ao zika (1.835). Outros 2.957 casos no País seguem em investigação pelo Ministério da Saúde – em 4.223, a relação com vírus e com problemas congênitos foi descartada.

Na sequência, têm mais notificações de microcefalia Colômbia (24) e Estados Unidos (21). Dos registros americanos, três são de mães que contraíram o vírus em outros países. Na Europa, os três casos de microcefalia – na Eslovênia e na Espanha – não são autóctones. 

Com o verão, período mais propício à propagação, os Estados Unidos já registraram 36 prováveis transmissões locais do vírus na Flórida. Por isso, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) americano resolveu declarar Miami Beach – polo turístico que movimenta R$ 24 bilhões anuais – um destino não adequado para grávidas.

Na Flórida, o governo tem adotado medidas para combater o Aedes aegypti, transmissor da zika. Além do fumacê, é estudado o uso de mosquitos transgênicos, que têm filhos estéreis. Essa experiência já foi testada com sucesso no Brasil – houve redução de 82% na quantidade de larvas do Aedes em um bairro de Piracicaba.

E as autoridades de saúde acreditam que o surto deve espalhar-se. “Não me surpreenderia se houver casos no Texas e na Louisiana, onde temos problemas com inundações”, disse neste domingo, 21, Anthony Fauci, diretor do Instituto de Doenças Infecciosas, à rede de TV ABC. 

Paralisia

A OMS ainda informa que 11 países – entre eles, o Brasil – tiveram aumento atípico da incidência da Síndrome de Guillain-Barré, doença neurológica rara que causa paralisia. Também se estuda a relação entre a zika e a síndrome. Em outras sete nações houve ao menos um caso de Guillain-Barré em que foi constatada a infecção por zika no paciente, mas não houve elevação significativa de registros.











Mapa do Site

Serviços Informações Institucional Transparência    Notícias Contatos Acesso Restrito
Agendamento
Anuidade 2020
Capacitações
Consultar Farmacêutico  
Consultar Protocolos
CR Web
Denúncias  
Inscrição Profissional
Ouvidoria
Parcelamento  
Requerimento CR
Requerimento Online
Validar Certificado
Validar CND
Validar DIR
Validar DNCE
Agenda CRF/MG  
Área Técnica / Legislações
Concursos
Direitos e Deveres
Licitações
Perguntas Frequentes
Publicações e Documentos
Requerimentos e Modelos        
Associações Farmacêuticas
Comissões
Competências
Diretoria
Estatísticas
Estrutura
Fiscalização
História
Princípios
Projetos
Responsabilidade Social
Acesso à Informação
CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS
Rua Urucuia, 48 - Floresta
Belo Horizonte/MG | CEP: 30150-060
Horário de Funcionamento:
De segunda a sexta, de 8h às 17h
Todos os direitos reservados. © 2020 - Desenvolvido pela Assessoria de Imprensa e Gerência de Tecnologia da Informação do CRF/MG Conselho Regional de Farmácia de MG